Você tem medo de quê?

20abr, 2019

Insegurança frequente são grandes obstáculos aqueles que buscam superar seus próprios limites. Saiba como eles agem em nosso cérebro e como impedi-lo de se tornar um inimigo interno.
Todos nós temos medos: se existe uma afirmação assertiva a respeito de nós é essa. Somos seres medrosos e preocupados. Graças ao medo, chegamos onde chegamos, esse sentimento esteve presente durante todo nosso processo evolutivo, formando nossa percepção dos perigos do mundo.

O medo é uma reação do organismo aos estímulos externos, fundamental para nossa sobrevivência, já que a partir dele existem mudanças metabólicas que nos colocam em estado de atenção. A função do medo é de preservação, ao entrar no estado de atenção. É nesse momento, que sentimos os efeitos típicos do medo em nós, e todos eles possuem um propósito: decidir se é hora de correr ou de enfrentar o que está causando esse sentimento.

“Ouça o mundo com os ouvidos de alguém muito seguro e sinta no seu corpo a sensação de segurança”. Mileide Varga

Ter medo de desafios também pode fazer com que a pessoa não saia do lugar e fique sempre na zona de conforto. Eu prefiro pensar que o medo está em nossa cabeça, e existem medos que são imaginários. Por exemplo, uma pessoa tem medo de empreender ou de mudar de profissão, por achar que não vai dar certo. Isso faz com que ela fique na mesma posição a vida inteira, você está passando por isso nesse exato momento? Reflita sobre isso.

Esse medo está congelando a sua vontade de mudar, nesse caso, o ideal é tirar as emoções destas decisões e analisar as informações mais racionalmente e começar a ver a situação da forma que realmente ela é. Depois analisar quais são as consequências ou benefícios de ultrapassar esse medo, o que te impede de fazer isso? Reflita sobre isso e ficará mais fácil superá-lo.

Mantendo o Controle

Existem diversas formas de superar e uma delas é o exercício do autoconhecimento, que nos auxilia em todos os âmbitos da vida, e não somente no equilíbrio dos nossos medos. Ir em busca de algo novo, escrever nossos pontos fortes e os a serem desenvolvidos, nos ajuda na auto-avaliação interna, o que desconhecemos gera medo, é importante estar sozinho e fazer algumas perguntas a você mesmo e responder uma a uma.

Sugestões para iniciar a sua Auto-avaliação.

1) O que poderá acontecer se eu fizer tal coisa?
2) Quais meus pontos fortes?
3) Por que considero estes meus pontos fortes?
4) Quais exemplos concretos (que confirmem tal percepção) posso apresentar?
5) Como posso usar tais pontos fortes dentro da organização?
6) Quais meus pontos fracos?
7) Por que considero estes meus pontos fracos?
8) Que tarefas e situações do meu dia a dia são afetadas por isso?
9) Como posso trabalhar meus pontos fracos com ajuda da empresa para melhorar meu desempenho no trabalho?
10) Existe alguma oportunidade benéfica para a empresa na qual meus pontos fortes poderiam ser melhores empregados?
11) Existe alguma oportunidade que eu desempenharia melhor se resolvesse meus pontos fracos?

Até breve!!
Fabiana Gea Malaguti
Master Coach e Treinadora

Informações e sugestões: contato@coachfabianamalaguti.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat